Compra segura •

Produtos testados e aprovados pela curadoria •

Troca gratuita

Por trás das lentes

Por trás das lentes

2 segundos. É o tempo necessário para uma imagem chamar a atenção do seu cérebro enquanto você rola a tela do celular pelas redes sociais. A forma como as pessoas se comunicam mudou, e hoje trocam informações em nível global através de diferentes ferramentas mesmo em idiomas diferentes. Porém, as imagens continuam sendo a mais universal das linguagens.

Segundo a revista Performance Horse Journal* “uma pessoa comum consome milhares de imagens a mais que do que há 10 anos. Estudos sugerem que as pessoas vejam de 4 a 10 mil imagens por dia comparadas com 500 por dia nos anos 70, antes da revolução digital”. E nada mais poderoso para chamar a atenção de um apaixonado por cavalos do que uma foto com…. CAVALOS!

Ver uma bela imagem de uma pessoa com um cavalo, ou apenas um cavalo, na qual reconhecemos o nosso próprio sentimento por esses animais e tudo o que representam para nós tende a gerar uma simpatia e curiosidade imediatas, não só pelos personagens da foto (quem é a pessoa e o cavalo) mas também pelo profissional responsável (quem tirou a foto).

A luz, o brilho, as cores, o ângulo, a paisagem ao fundo, a expressão, etc., são apenas alguns dos elementos que, além dos cavalos, contribuem para prender nossa atenção. A sensibilidade e estilo de cada profissional expressados numa foto finalizada tem o poder de conquistar admiradores (e seguidores). Algumas chegam a ser mais que fotografias, são genuínas obras de arte.

Em entrevista exclusiva para o Blog Woody, e especialmente no mês das mulheres, duas fotógrafas do ramo contaram um pouco de sua trajetória na profissão. (Re)Conheça aqui um pouco mais sobre essas profissionais cujo trabalho nos encanta e enche nosso feed de inspiração.

Kirstie Jones

Kirstie Jones tem 29 anos e cresceu ao sul de Portland, no estado do Oregon, Estados Unidos. Ela monta desde a infância, já tendo competido no Dressage, Salto, Western Pleasure e Rédeas. Ela conta que seu primeiro trabalho na área foi acompanhando um fotógrafo de casamento (Arden Prucha Photographer) enquanto ainda cursava Finanças na Texas Christian University.

Recentemente, Kirstie foi reconhecida pela edição de Março/Abril da Cowgirl Magazine - um dos editoriais mais prestigiados do meio equestre feminino - como uma das 30 mulheres com menos de 30 anos (“30 Under 30”) pela sua contribuição e dedicação profissional à indústria western (https://kirstiemarie.com/cowgirl-magazine-30-under-30/). O reconhecimento como influenciadora ao lado de outras mulheres, segundo ela fenomenais, foi para ela uma honra e um ponto alto da carreira.

A primeira capa de revista em que uma foto de Kirstie estrelou foi da Texas Equine Veterinary Association em 2014. Além de inúmeras capas que vieram depois disso, ela também já fotografou mais de 100 campeões mundiais da American Quarter Horse Association, e outras celebridades do meio, como Tuf e Tiffany Cooper, Tyson e Shea Durfey, Jessica Holmberg e Deanna Green.

Grande parte dos trabalhos de Kirstie são ensaios de cavalo(s) com seu(s) dono(s), e se considera abençoada por ter tido tantos clientes incríveis que a fazem sentir amada todos os dias. Ela conta ainda que o lugar onde mais gosta de fotografar é em Fort Worth Stockyards, por ter uma estética tão rica, histórica, identificável e, claro, num estilo genuinamente western.

Explorando o perfil de Kirstie nas redes sociais, o que fica mais transparente é a sua sensibilidade de captar a sintonia e o amor entre pessoa e cavalo. Seu objetivo vai além de dar ao fotografado uma nova foto de perfil, mas sim proporcionar-lhe um tempo para refletir o quanto o cavalo significa para ele, uma memória para perpetuar por gerações.

Outro ponto alto da carreira de Kirstie foi ter fotografado os Compton Cowboys em Compton, na California. Os Compton Cowboy são um grupo formado em 2017 por 10 amigos que se conhecem desde a infância, e que se uniram na missão de combater esteriótipos negativos de americanos afro-descendentes através dos cavalos. Ela diz, com orgulho, que foi o trabalho mais divertido que fez até hoje.

 

Gisele Tomazela

Paulista de Itatiba, estado de São Paulo, Gisele Tomazela tem 45 anos, e antes de ser fotógrafa, também é apaixonada por cavalos desde a infância. O pai é criador de Mangalarga, então ela sempre conviveu no meio equestre.

Gisele é formada em Administração de Empresas pela Universidade São Francisco, mas a fotografia sempre esteve presente em sua vida, até então como um hobby. Em determinado momento começou a trabalhar como Designer de internet, editando fotos, e assim foi adquirindo um olhar mais técnico e o desejo de estudar mais profundamente. Decidiu, então, cursar Fotografia na Escola Panamericana de Artes, onde se formou recentemente.

Antes disso, Gisele já havia feito muitos cursos técnicos e workshops, e foi em uma dessas ocasiões em que teve a ideia de unir duas paixões: a fotografia e o cavalo. Ela conta que conheceu Raphael Macek, uma grande referência na fotografia equestre e um dos seus maiores influenciadores hoje, e dali pra frente não parou mais.

Ela trabalha com diferentes raças e segmentos do universo equestre, como eventos esportivos, material publicitário para catálogos e leilões, material documental para sites e redes sociais, ensaios, etc. Onde os cavalos estiverem ela topa ir!

A filha de Gisele, Luisa Tomazela, também herdou da família o gosto pelos cavalos. Ela já praticou outras modalidades com animais de outras raças, e há menos de um ano conheceu a Rédeas, o que fez com que Gisele passasse a conhecer mais uma experiência equestre.

Ao perguntarmos sobre algum trabalho específico que foi importante na sua trajetória como fotógrafa, ela conta que considera todos os trabalhos importantes, não importa o tamanho ou impacto que eles possam causar na sua carreira. Para ela, a grande recompensa do trabalho são os momentos eternizados, as amizades e os aprendizados enriquecedores colhidos em todos eles. “Sou uma apaixonada pelos cavalos e busco sempre transmitir essa paixão em minhas fotos”, ela explica.

Sem preferências por estilos de trabalho, o brilho dos olhos de Gisele não mente quando o assunto é fotografar os cavalos no seu natural. Ela aprecia observar o animal e esperar o momento certo para clicar, sem muita produção ou qualquer tipo de manipulação externa. Segundo ela, “o famoso menos é mais!”

Saiba mais sobre Gisele Tomazela em www.giseletomazela.com.br ou https://www.instagram.com/giseletomazela/

*****

*Performance Horse Journal, October-November 2017, p. 71.

Karol Rodrigues | Produtora de Conteúdo

Produtos Relacionados